26°C 17°C

São Paulo, SP

26°C 14°C

Curitiba, PR

29°C 21°C

Belo Horizonte, MG

32°C 22°C

Rio de Janeiro, RJ

30°C 20°C

Porto Alegre, RS

30°C 24°C

Salvador, BA

Sexta-feira, 29 de Março de 2019 - 15h42

Brasileiros sedentários apostam em aplicativos para entrar em forma em 2019

Bruna Oliveira

Levantamento indica que 40% dos brasileiros sedentários estão mais propensos em apostar em treinos propostos por aplicativos do que nos modelos de exercícios tradicionais de academia; facilidades entregues por ferramentas fitness digitais são as que mais agradam e academias ficam com baixa popularidade.

 



A tecnologia já mudou a forma como nós brasileiros fazemos diversas coisas. Hoje, por causa de aplicativos, nos locomovemos pela cidade de um jeito novo, gerimos nossas finanças e até encontramos um novo amor. Em 2019, no entanto, outra rotina deverá ser impactada massivamente por essas ferramentas digitais: os exercícios físicos. 



40% dos brasileiros que não praticam atividades físicas frequentemente prefeririam seguir exercícios propostos por aplicativos de exercícios do que frequentar uma academia tradicional. O dado foi obtido pelo 1º Mapa Nacional do Impacto da Tecnologia no Esporte e Sedentarismo, pesquisa realizada pela startup de exercícios físicos com uso de inteligência artificial Freeletics, que ouviu 2046 pessoas sedentárias nas cinco regiões do Brasil. O estudo revelou ainda que 37% dos entrevistados substituiriam totalmente a academia pelo uso de aplicativos.




Apenas 18% dos ouvidos acreditam que os aplicativos não seriam tão efetivos quanto os exercícios realizados em academias tradicionais. “As inovações tecnológicas têm facilitado a vida das pessoas em diversas áreas. Poder fazer exercícios físicos a qualquer hora do dia, em qualquer lugar e com um personal trainer digital disponível no próprio bolso é uma mudança muito interessante na forma como as pessoas se exercitam. Estamos muito felizes que os brasileiros têm participado cada vez mas dessa mudança”, afirma Daniel Sobhani, CEO do Freeletics.



As ferramentas digitais surgem também como uma alternativa com preços mais acessíveis para um treino personalizado, já que 73% dos pesquisados afirmam acreditar que praticar exercícios acompanhado de um treinador melhoraria muito os resultados obtidos nos treinos, mas 61% não estão dispostos a pagar por esse aconselhamento profissional com os valores praticados atualmente. 

 



Outro desejo de 73% dos entrevistados na pesquisa, porém, é de que os aplicativos de exercícios também ajudassem a controlar a alimentação. 



publicidade:

publicidade:

publicidade: