26°C 17°C

São Paulo, SP

26°C 14°C

Curitiba, PR

29°C 21°C

Belo Horizonte, MG

32°C 22°C

Rio de Janeiro, RJ

30°C 20°C

Porto Alegre, RS

30°C 24°C

Salvador, BA

Domingo, 14 de Abril de 2019 - 08h00

Usuários do LinkedIn agora poderão responder a posts com reações

Canaltech

 

O LinkedIn anunciou um novo recurso que promete agradar muitos usuários. Seguindo Facebook e Skype, a plataforma decidiu lançar quatro novas reações para que usuários possam responder publicações.

 

 

Dispensando o polêmico "Grrr" do Facebook, a empresa manteve o "Curtir" e adicionou um "Amei", "Parabéns", "Curioso" e "Perspicaz". Com as reações, usuários podem expressar suas opiniões na rede social sem a necessidade de escrever um comentário.

 

 

“Você pode usar o 'Parabéns' para elogiar uma conquista ou 'Amei' para expressar apoio profundo. O 'Perspicaz' pode ajudá-lo a reconhecer um grande argumento ou uma ideia interessante, enquanto o 'Curioso' permite que você mostre seu desejo de aprender mais ou reagir a um tópico instigante. Como um pôster, essas novas reações podem ajudá-lo a entender melhor o impacto de suas postagens", explicou o LinkedIn em seu blog.

 

-
CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.
-

 

As reações são um recurso popular em aplicativos de comunicação, como o Slack. Neste caso, a plataforma permite que usuários escolham qualquer emoji.

 

 

"As reações do LinkedIn lhe darão mais formas de se comunicar de forma rápida e construtiva. Fizemos uma abordagem cuidadosa para projetar essas reações, centradas na compreensão de quais seriam mais valiosas para os tipos de conversas que os membros têm na plataforma", acrescentou a empresa.

 

 

De acordo com o LinkedIn, foram analisados os principais comentários de até duas palavras dos usuários. Uma pesquisa também foi conduzida para obter um feedback sobre as reações que estavam sendo estudadas.

 

 

A novidade está sendo disponibilizada a partir desta quinta, mas alguns usuários deverão esperar mais que outros. A rede social diz que a novidade estará disponível para todos os membros "nos próximos meses".

 

 

Então, não se preocupe se você não recebeu a atualização imediatamente. O recurso será disponibilizado tanto em aplicativos quanto na web.

 

 

O LinkedIn está disponível para download no Android e no iOS.

 

 

 

Fonte: Canaltech



publicidade:

publicidade:

publicidade: